Vida de Paleontóloga

Atualizado: Jun 28

Às paleontólogas, futuras estudantes e pessoas que queiram conhecer o mundo da Paleontologia.



No sentido literal o termo é formado pelo prefixo grego "palaios", que significa antigo ou velho, e pelo sufixo grego "logos", que significa estudo.


É uma área científica ligada a Geologia e a Biologia, que se dedica ao estudo do passado dos seres vivos e vegetais, como eles eram fisicamente e biologicamente no período pré-histórico do planeta e como evoluíram.

"Mas pensei que tivesse a ver com dinossauros"

E tem! Como o principal instrumento de estudo da Paleontologia são os fósseis e as marcas que eles deixam no solo e nas rochas, as espécies já extintas do planeta são o maior alvo de pesquisa, devemos aos cientistas dessa área tudo que se sabe atualmente sobre os dinossauros.


Existe um curso?


A maioria das profissionais que atuam ou pretendem atuar na área se graduam em Ciências Biológicas ou Geologia, já que nenhuma faculdade brasileira oferece o graduação em Paleontologia, mas algumas delas possuem especialização e linhas de pesquisa:

  • Universidade Federal da Bahia (UFBA)

  • Universidade Federal de Goiás (UFG)

  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Saiba mais em: Sociedade Brasileira de Paleontologia


Por terem nomes parecidos, é comum que as pessoas confundam a profissão com outras áreas, então segue a explicação:

- Antropologia: área das ciências sociais; estudo do ser humano.

- Arqueologia: estudo das civilizações históricas através de objetos preservados;


Entre várias outras "logias" que temos.


Mercado de trabalho & desigualdade de gênero


O principal ambiente de atuação são os laboratórios e centros de pesquisa, mas podemos encontrar paleontólogas em museus, empresas relacionadas a Biologia e Geologia, parques paleontológicos e em consultorias e assessorias na área.


Infelizmente, assim como em vários campos de pesquisa, na paleontologia há uma diferenciação em relação a homens e mulheres. Em um relato ao Mulheres na Ciência, a paleontóloga Lucy Gomes registrou as dificuldades da profissão, sendo uma mulher trans em um ambiente tradicionalmente masculino:


"O tratamento diferenciado começa com coisas ditas como inofensivas como as boas e velhas piadinhas de laboratórios que pregam que mulheres devem arrumar o espaço, fazer café, servir aos homens ou como os homens são melhores quando se trata de matemática."

Isso reafirma que a luta pelos espaços e pelo direito de ser respeitada em qualquer ambiente é constante. Estamos juntas.

Avante, paleontólogas!


Fontes: Arqueologia e Pré-História; UFRR.


Millena tem 16 anos, é redatora ElaSTEMpoder e estudante de técnico em Informática, mas com o coração nas Ciências Humanas. Fã de Caetano e mineira apaixonada em pão de queijo com café a qualquer hora do dia.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo