• Maria Paiva

Política Brasileira: A Desigualdade Salarial entre Gêneros e a Participação Indígena Feminina

A luta pela igualdade de gênero é um fato histórico e que tem ganhado cada vez mais a atenção da sociedade, não é coincidência que temos uma coluna direcionada para essa temática no blog certo?


Várias são as reinvindicações feitas pelas mulheres ao longo dos anos e, apesar das diversas conquistas já alcançadas, ainda persistem muitas disparidades no que diz respeito ao equilíbrio (social, educacional, econômico, salarial...) entre homens e mulheres.



Nesse sentido, esse texto traz uma boa notícia no contexto da igualdade salarial entre pessoas do sexo masculino e feminino:


No dia 30 de março de 2021, o Senado Brasileiro aprovou um projeto que multa empresas que remuneram de maneira desigual mulheres e homens que exercem a mesma função. Se aprovado pela sanção presidencial, o projeto prevê que as mulheres lesadas recebem a multa no valor de cinco vezes a diferença salarial demonstrada.

Aprovação muito importante e que deve ser comemorada!


Depois de ler essa notícia incrível, imagino que você deva estar se perguntando qual a diferença atual dos salários entre homens e mulheres que ocupam os mesmos cargos.


Então vamos aos números:


Segundo uma pesquisa realizada em 2019 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o famoso IBGE, as mulheres receberam 77,7% do salário dos homens nesse ano, sendo que a discrepância é ainda maior em cargos de rendimento superior, como diretores e gerentes. Nesse nicho, as mulheres ganharam somente 61,9% do rendimento dos homens.


Nessa mesma pesquisa, foi divulgado que a região brasileira que apresenta maior desigualdade salarial é o Sudeste, onde também se observa o menor número de mulheres ocupando cargos gerenciais.


Como pudemos observar, o caminho até o alcance da igualdade salarial entre gêneros é longo, mas um passo importante em direção a esse objetivo foi dado no dia 30 de março!

Dessa forma, é necessário que ele seja comemorado e sirva de incentivo para que mais projetos e leis que promovam a igualdade de gênero sejam aprovados no Brasil e no mundo! <3


Já que nesse mês o tema escolhido é “Povos Indígenas” e estamos falando de política e mulheres, é importante ressaltar as conquistas de mulheres indígenas no campo político!


Você sabia que a primeira mulher indígena eleita para o cargo de deputada federal obteve esse feito apenas em 2018?


Joenia Wapichana (@joeniawapichana) é o nome da primeira mulher indígena eleita como deputada federal no Brasil, sendo uma das apenas 77 mulheres eleitas para a Câmara dos Deputados, cerca de 15% do total.


Joenia, que é uma defensora da causa ambiental e dos direitos das mulheres, fez história ao ser eleita conquistando um espaço nunca antes explorado por uma mulher de origem semelhante.


Nesse sentido, incentiva a nova geração a seguir seus passos, afirmando que não deseja ser a única, nem última a ocupar esse espaço de representatividade tão importante.


“ A minha própria representação serve de exemplo para que as mulheres vejam que podem exercer esse direito político de se candidatar e ocupar posições de representação em espaços de tomada de decisão.” – Joenia Wapichana em entrevista ao Jornal “O Globo”

Que o projeto aprovado em busca da igualdade salarial entre gêneros não seja o único nem o último!


Dica para se engajar na política


A Politize! - Educação Política é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos (OSC) que tem como missão: formar uma geração de cidadãos conscientes e comprometidos com a democracia.


Essa OSC leva a educação política a qualquer pessoa, em qualquer lugar, dentro e fora da internet, por meio da atuação em escolas, produção de conteúdo informativo, canal de Youtube , formação de líderes e diversos projetos incríveis!


Se interessou? Conheça mais sobre a Politize! nos links abaixo! ;)


Site | Instagram | Facebook


Fontes: Agência Brasil, CNN, IBGE, O Globo, Politize e Site da Câmara dos Deputados.

32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo